sábado, 21 de agosto de 2010

Corada.

É de uma cumplicidade incrível e às vezes meia palavra basta. Sei que tenho a sorte e a honra de ter. A gente nunca sabe explicar como as coisas começam ou onde acabam... Ou prefere que nunca acabe, mas é preferível não saber. É bem aos poucos que tudo vai surgindo, não é por obrigação de corresponder, mas sim por sentir o mesmo e que se torna melhor ainda. Tudo é questão de como se vê, vive e sente. Isso é raro. Alguns sentimentos são fudidamente difíceis de explicar, concluindo que melhor explicação não há. Só se sabe sentindo. Agora me sinto aliviada por saber o que quero, de repente tudo fez sentido. Um sentido sem sentido para todos os sentidos. Raramente senti o que estou sentindo hoje. Só sei que vai acontecer quando tiver que acontecer e vai ser do jeito que tem que ser. Estou mais do que certa disso. Já chorei à beça, porque não posso sorrir até me acabar? Acho que todo mundo tem esse direito. Estou sofrendo normalmente e alegremente. Que seja da melhor forma possível. Se você sentiu coisas que não tem lá as suas explicações, então vai ficar corada.

Um comentário: