domingo, 26 de dezembro de 2010

O efeito permanente do dia seguinte.

Você não é igual a esse lugar, eu vi isso a alguns quilômetros de distância assim longe de mim. E ela não mentiu quando disse que não era aquilo que espera, ela verdadeiramente fugiu para não causar uma decepção, sabe. Mas além do receio, é claro que existe o que quer próximo, o distante... Engana-se se não é feliz desse modo infeliz, ainda que de pouco em pouco. Só descobri depois de um tempo que o prazo de validade é você quem faz, só não ultrapasse o ponto e não estrague o que vai consumir, constantemente. Dependendo da primeira impressão que causei, posso deixar de ser assim nunca mais. Você me deixa ser agora, caso não goste enfie sua opinião no rabo... Ou pronto, posso me arrepender de ter falado dessa forma e desatar a querer chorar de arrependimento, precisando de doses de vodka para conseguir dormir. Porque eu acabo descobrindo, que o problema não é sua cabeça, é o coração. E o efeito? É uma puta ressaca amanhã, depois de amanhã, amanhã e depois...

Nenhum comentário:

Postar um comentário