sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Eis a questão respondida.

Leia ouvindo.


De repente senti vontade de compartilhar uma pergunta que respondi já faz alguns meses, não sei exatamente o motivo d'eu querer fazer isso, mas vindo de uma pessoa impulsiva isso já explica tudo.

Enfim, a pergunta era a seguinte: ''Gostaria que houvesse mais pessoas como você no mundo?''
E minha resposta - com pequenas correções, foi esta:

É uma pergunta bem complexa, mesmo. Porque primeiro procuro ser alguém que não irá fazer mal a ninguém, que busca não atingir alguém pelo mal que me causou e ainda mais por não ser do meu feitio. E nesse aspecto sim, gostaria que existissem pessoas como eu - por esse lado de mim, no mundo. Mas por outro lado, sou por vezes uma realista sonhadora, que não sabe lidar muito bem com os problemas e encará-los de frente, sem antes lamentar pelos cantos. Tenho o grande defeito de viver de braços cruzados e como se isso não bastasse, reclamo da vida que levo, que carrego como se fosse um peso que mal começou a ser arrastado por outras vidas de pessoas que me aguentam. Tenho sede de mudanças para o mundo, mas não faço nada revolucionário para ajudar. Mas acredito que só a minha vontade basta para que um dia eu consiga levantar daqui e mudar algo.
Como já diz uma música da Cat Power - Good Woman: ''I want to be a good woman and I want for you to be a good man.'' Essa vontade de querer ser um bom ser humano para fazer bem ao outro - amorosamente, ou não, é um grande passo.
Gostaria que existissem mais pessoas com boas intenções, logo, o mundo seria um lugar melhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário