domingo, 2 de janeiro de 2011

00:00

Eu simplesmente não consegui pensar em nada para pedir, talvez porque naquele momento eu não queria nada pensando em mil coisas que poderia ter. Olhei para o céu, vi o colorido dos fogos de artifício e uma lasca do maldito caiu próxima a mim, no que levantei derramei o resto da bebida que me sobrava. Sem problemas, busquei mais depois. E as crianças brincavam na rua como se o último dia do ano fosse o último dia da vida delas, para elas. Só fiquei sentada observando me sentindo normal diante de tanta alegria. Mas a noite caminhou e só acabou ''cedo'' porque certas pessoas não se divertem ao ver os outros se algremente se divertindo, mas tudo bem. Continuamos a festa lá dentro, onde alguns momentos foram gravados em vídeo e fico aliviada em saber que eu não fui a protagonista.
Amanheceu e a ressaca veio junto, bebi água, bebi café e deixei a hora passar, a dor de cabeça foi junto. Fui embora.
Vim para casa caminhando devagar olhando para o chão num clima nublado, caia uma garoa fina que eu teimava em secar com a manga da camisa. E pensei: ''Que merda, porque eu não deixo essa garoa me limpar?''...Deixei.
E agora é tudo novo de novo e vai começar do jeito que estava antes.