sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Fuga em pensamento é alento.



Para se ler ouvindo.

Existe o momento em que se percebe que mesmo sem escapatória, você não pertence a este lugar. Que a vastidão não invade você e que ainda há um mundo belo por trás do caos que se quer explorar, mas as condições são desfavoráveis demais e não permitem que você vá de um jeito livre, sem amarras. É como se este lugar - do qual não se sabe como viver, sugasse suas forças e em troca lhe desse apenas desesperança. Você quer viver, mas fica contendo-se porque tudo lá fora parece tão inóspito para arriscar sua frágil vida. Você se questiona e chega a conclusão de que não quer passar o resto da sua breve vida aqui, então você foge, nem que seja somente através dos seus pensamentos porque de momento é a única coisa que te mantém confortavelmente distante.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Desperdice o peso, aprecie a leveza.

Mas o que seria de nós se não fosse a reclamação pelas coisas das quais estamos insatisfeitos? Não haveria nem um fundo de sentido em procurar melhoras. Mas se a reclamação for infundada, acaba por tornar-se em vão e um problema mal resolvido. E o que seria de nós se não quiséssemos chorar de tanto rir do que foi penoso e uma desgraça no passado, mas se tornou a graça no momento presente? Mas em resumo, o que seria de nós se não fosse pela busca dessa tal satisfação e do contentamento ou qualquer outro objetivo tão utópico o quanto? Lembrando que felicidade não se busca, é consequência. Mas por que procurar por respostas que nunca virão? Por que perguntar? ...Se o silêncio que reina, pode ser a resposta de tudo? Você não precisa querer saber, pois pode acabar se decepcionando com a verdade que é bonita, mas dói que é uma beleza. Imagine descobrir que tudo foi uma doce ilusão que amargou. E que agora é agridoce. Na vida você pode arriscar aos poucos, até o que menos interessa e o que mais importa. Ou pode ficar observando tudo com um ar de quem acha as questões existenciais insignificantes e uma perda de tempo, se preocupando em não exteriorizar o quão fundo vê que suas horas estão sendo desperdiçadas e observando todos seguirem suas vidas do melhor jeito que se permitem, enquanto sente que perde tempo e ganha despesas porque correr atrás do tempo perdido será uma obrigação, onde os seus ideais ficaram lá atrás parecendo que estão mais longe demais de serem alcançados. E você quer continuar, tentando. Dane-se quanto tempo leve, só não deixe que seus sonhos fiquem pesados de carregar. Deixe que seus objetivos sejam leves como uma nuvem e uma folha seca de outono, não sinta que são pesados como o céu e um tronco de árvore. Você escolhe, a vida é sua. A escolha é sua e cada escolha é um risco que se corre. Não espere por nada mesmo que certas coisas estejam destinas a acontecer, não se preocupe, irá acontecer. Não se desespere com tudo, pois nenhum empecilho pode ser maior do que a sua vontade. E se faltar desejo, alimente-se do que lhe der prazer.